segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

31ª FESTA DE NOSSA SENHORA DAS CANDEIAS




Tema: “COM MARIA, ANUNCIAMOS O EVANGELHO DA FAMÍLIA E DO SERVIÇO À VIDA”

De 30 de janeiro a 08 de fevereiro de 2015

PROGRAMAÇÃO

ž  DIA 30 DE JANEIRO (SEXTA-FEIRA)
“MARIA, ÍCONE DA IGREJA, SERVIDORA DA VIDA”
18h – Terço na sede da Comunidade Timóteo
19h – Procissão da Bandeira (Participação Comunidade Timóteo)
19h30 – Celebração Eucarística
Pregador:Padre José Roberto Domingos
Noiteiros: Todas as Comissões paroquiais de pastoral; Apostolado da Oração (Candeias e Barra de Jangada); Comunidades São Pedro eSão José Operário.

ž DIA 31 DE JANEIRO (SÁBADO)
“A FAMÍLIA, IMAGEM DA TRINDADE”
17h30 – Terço
18h20 – Vésperas
19h – Celebração Eucarística
Pregador: Padre Augusto César
Noiteiros: Comissão paroquial pastoral para a Caridade, Justiça e Paz; Pastorais da Criança, Dízimo, Saúde e Sobriedade; Sociedade São Vicente de Paulo; Encontro de Casais com Cristo.

ž DIA 1º DE FEVEREIRO (DOMINGO)
“A FAMÍLIA, LUGAR NORMAL E QUOTIDIANO DO ENCONTRO COM CRISTO”
7h – Celebração Eucarística
10h – Celebração Eucarística
16h30 – Grupo Jovem – Comunidade Timóteo
 17h30 – Terço
 18h20 – Vésperas
 19h – Celebração Eucarística
Pregador: Padre Fábio Leite
Noiteiros: Comissão paroquial pastoral para Juventude; Pastoral da Juventude, Encontro de Jovens com Cristo; gruposjovens da paróquia: Juventude Timoteana e Novos Caminhos.

ž DIA 02 DE FEVEREIRO (SEGUNDA-FEIRA)
“A FAMÍLIA, SANTUÁRIO DO AMOR E DA VIDA”
8h – Ofício de Nossa Senhora
18h – Terço
18h45 – Vésperas
19h30 – Celebração Eucarística com benção da saúde
Pregador: Padre Acácio Carvalho
20h30 – Concerto para Maria – “Ensemble Vocal Cantamus”
Noiteiros: Comissão paroquial de pastoral para Vida e Família; Pastoral Familiar, Grupos de Oração Luz Divina e Nossa Senhora das Candeias; Comunidade Chama.

ž DIA 03 DE FEVEREIRO (TERÇA-FEIRA)
“ESPIRITUALIDADE FAMILIAR, UMA ESCOLA DE COMUNHÃO”
18h – Terço
18h45 – Vésperas
19h30 – Celebração Eucarística com benção da garganta
Pregador: Padre Fábio Santos
Noiteiros: Comissão paroquial de pastoral para Liturgia; Pastoral Litúrgica (Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão, da Palavra, da Acolhida, da Música, da Coleta e Acólitos), Oficina de Oração e Vida; Comunidades Nossa Senhora da Graça e São Vicente de Paulo.

ž DIA 04 DE FEVEREIRO (QUARTA-FEIRA)
“A FAMÍLIA, CÉLULA PRIMEIRA E VITAL DA SOCIEDADE”
18h – Terço
18h45 –Vésperas
19h30 – Celebração Eucarística
Pregador: Frei Damião Silva
20h15 – Adoração ao Santíssimo Sacramento
20h45 – Atração Cultural
Noiteiros: Comissão paroquial de pastoral para Ação Missionária; COMIPA; Terço dos homens; Comunidade Santo Antônio; Comunidade São Sebastião (Jardim Piedade); Comunidade Timóteo.

ž DIA 05 DE FEVEREIRO (QUINTA-FEIRA)
“A FAMÍLIA CRISTÃ E PAROQUIAL, COMUNIDADE CRENTE E EVANGELIZADORA”
18h – Terço
18h45 –Vésperas
19h30 – Celebração Eucarística
Pregador: Padre Gerson Aparecido dos Santos
20h30 – Atração Cultural
Noiteiros: Comissão paroquial de pastoral para o Laicato; Pastoral do Batismo; Comunidade Nossa Senhora da Boa Esperança (Curcurana), Casas Geriátricas e Casais Encontristas do ECC.

ž DIA 06 DE FEVEREIRO (SEXTA-FEIRA)
“A FAMÍLIA CRISTÃ, COMUNIDADE EM DIÁLOGO COM DEUS”
18h – Terço
18h45 – Vésperas
19h30 – Celebração Eucarística
Pregador: Padre João Carlos Ribeiro
20h30 – Atração Cultural
Noiteiros: Comissão paroquial de pastoral para Doutrina da Fé; Movimento Mãe Rainha; Comunidade Senhora Rainha e Santa Terezinha; Comunidade Nossa Senhora da Conceição (Dom Hélder) e Matriz Nossa Senhora do Loreto.

ž DIA 07 DE FEVEREIRO (SÁBADO)
“A FAMÍLIA CRISTÃ, COMUNIDADE A SERVIÇO DO HOMEM E DA SOCIEDADE”
8h – Atividade da Pastoral da Juventude
8h – Manhã Solidária
16h30 – Celebração Eucarística com as crianças
17h30 – Terço
18h20 – Vésperas
19h – Celebração Eucarística
Pregador: Padre Gleiber Dantas
20h – Atração Cultural
Noiteiros: Comissão paroquial de pastoral Bíblico Catequética; Pastoral Catequética; Pais das crianças e jovens da Catequese e da Crisma; Legião de Maria; Ex-alunos da Escola teológica; Famílias que recebem o oratório de Nossa Senhora das Candeias.

ž DIA 08 DE FEVEREIRO (DOMINGO)
“COM MARIA, ANUNCIAMOS O EVANGELHO DA FAMÍLIA E DO SERVIÇO À VIDA”
7h – Celebração Eucarística
10h – Celebração Eucarística
16h30 – Celebração Eucarística
Presidente: Dom Jorge Tobias
18h – Procissão (Part. ComunidadeChama)
19h – Atração Cultural

Confissões

02 a 06/02 – a partir das 18h

Semana da Cidadania

Serão oferecidas ações de saúde, com exames oftalmológicos, de aferição de pressão e glicemia, e serviços de emissão de documentos e de assessoria jurídica. Estão programadas atividades culturais, sociais e de evangelização para crianças.

·         Fundação Altino Ventura - exames oftalmológicos
02 a 06/02 – 8h às 12h

·         Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes – exames médicos (glicemia e pressão), emissão de documentos e assessoria jurídica
06/02 – 8h às 12h

·         Oficinas de Musicalização Infantil
06/02 – 14h30 às 17h30

07/02 – 9h às 12h

Festa Nossa Senhora das Candeias


VEM AI A FESTA DOS 18 ANOS DA COMUNIDADE CHAMA. VOCÊ É NOSSO CONVIDADO. AGUARDE A PROGRAMAÇÃO !




O papa e as entrevistas no avião


Em época de falas ensaiadas, Francisco abraça a espontaneidade.
Francisco, em conversa com jornalistas: se quer entender o papa, dedique tempo a ler as entrevistas.
Por Dwight Longenecker*

Os católicos de todo o mundo estão se acostumando às conversas informais que o papa Francisco mantém com os jornalistas a bordo do avião em que retorna a Roma, depois das suas viagens apostólicas. Essas conversas já se tornaram uma tradição. E, invariavelmente, elas geram alguns mal-entendidos e são interpretadas de maneira parcial. O papa considera que o risco vale a pena e, agora que já nos acostumamos com essas conversas, podemos ver que, através delas, o Santo Padre colhe mais frutos do que pareceria à primeira vista.

Quando ele encontra os jornalistas no avião, o clima é de informalidade. Ele ouve as perguntas e as responde de improviso, mostrando que é um mestre da comunicação. Francisco tem sido criticado por pessoas que o acusam de ser impreciso e confuso. Acusá-lo disso é não entender o que o papa está tentando realizar por meio dessas entrevistas. Ele quer que o mundo o conheça como uma pessoa real, viva e apaixonada, que fala com o coração e para os corações. Esta qualidade ficou especialmente visível na sua conversa com os jornalistas que viajavam com ele de volta de Manila, na última segunda-feira (19).

O papa tinha ficado clara e profundamente comovido com a participação massiva dos fiéis nas Filipinas. Ele ficou tocado pelo calor humano, pela alegria, pela fé e pela esperança impactantes do povo daquele país. A emoção tomou conta de Francisco quando ele esteve com as pessoas que tinham sido atingidas pela tempestade tropical em Tacloban.

Quando lhe perguntaram em que aspecto os filipinos o tinham impactado mais, o papa respondeu: "Nos gestos! Os gestos me comoveram... Gestos bons, sentidos, gestos do coração. Alguns quase me fizeram chorar. Há de tudo: a fé, o amor, a família, as esperanças, o futuro! Gestos que são originais e que nascem do coração..."

"Outro gesto que me impressionou muito é um entusiasmo que não é fingido, uma alegria, uma felicidade, uma capacidade de celebrar! Mesmo debaixo de chuva, um dos mestres de cerimônias me disse que se sentia edificado com aqueles jovens que estavam trabalhando como voluntários e que, apesar da chuva, nunca perdiam o sorriso. É a alegria, não é uma alegria fingida. Não era um sorriso falso. Não, não! Era um sorriso que simplesmente brotava, e por trás desse sorriso existe uma vida normal, existem sofrimentos, problemas", afirmou.

Ao falar com o coração, o papa Francisco está mostrando ao mundo a sua verdadeira paixão pelas pessoas e a sua verdadeira paixão pela fé. Este coração emotivo se revela melhor na atmosfera informal de uma conversa humana do que em condições determinadas pela formalidade. Agir assim com os jornalistas é compartilhar com o mundo o seu coração aberto.

Há mais um elemento que torna essas entrevistas nos aviões uma ideia brilhante. Descobrimos que elas são uma nova forma de comunicação papal. As conversas são naturais, espontâneas, não planejadas. Às vezes, o papa comete erros humanos em seu desejo apaixonado de falar do coração de Cristo. No voo de volta de Manila, ele disse que os católicos não precisam "se reproduzir como coelhos". No voo de volta do Rio de Janeiro, falando sobre quem sente atração por pessoas do mesmo sexo, ele perguntou: "Quem sou eu para julgar?". Já aceitamos que estas afirmações são não formais, dogmáticas, do pontífice infalível. São conversas informais com o feliz e espontâneo papa Bergoglio. E está tudo bem.

Uma terceira razão do sucesso das entrevistas a bordo do avião papal é que elas fortalecem o relacionamento do papa com a imprensa mundial. Os jornalistas amam e respeitam este papa de forma notável. Eles detêm um grande poder e ele também tem um grande poder. Os dois lados percebem isto e os dois lados gostam e respeitam um ao outro. O papa Francisco sabe que, se quiser comunicar o poder positivo do evangelho e a grandeza da boa nova da fé católica, vai precisar de jornalistas solidários e compreensivos para ajudá-lo. Suas entrevistas nos aviões, portanto, são oportunidades de trocar ideias com os jornalistas, de oferecer a eles um pouco de tempo cara a cara, de construir relacionamentos e parcerias na complicada tarefa de se comunicar na época atual.

Em tempos de rápidas mensagens digitais, tuítes, sites, podcasts, mídias sociais, multimídia e comunicação de massas, o papa Francisco fala com calor humano e espontaneidade. Em tempos de comunicação estrategicamente controlada, propaganda com precisão cirúrgica e publicidade arquitetada em cada detalhe, o papa Francisco fala com o coração e envolve as pessoas reais com emoções reais e lutas reais. Se isto implica alguns riscos, são riscos vastamente compensados pelos benefícios.

Por fim, as entrevistas com o papa a bordo de aviões são uma leitura maravilhosa e reconfortante para o povo de Deus. Se você realmente quer entender o papa Francisco, dedique um pouco de tempo a ler essas entrevistas. Se você quer participar do amor que o coração do papa nutre pelos pobres, da paixão que ele vive por Cristo e pela Igreja, leia essas entrevistas. Se você quer ter um vislumbre do espírito missionário que impulsiona este papa, dedique um pouco do seu tempo a ouvir o que ele conversa com os jornalistas quando voa de volta para casa.

Você não vai se decepcionar.
SIR
*Dwight Longenecker é padre.

Dom Fernando participará do Curso de Bispos, no Rio de Janeiro



dom_fernando_saburido_49AG_coletivaO arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, embarca nesta segunda-feira, 26, para o Rio de Janeiro, onde se juntará a outros irmãos no episcopado para participar do Curso para Bispos. O evento se estenderá até quinta-feira, 30, será realizado no Centro de Formação do Sumaré, na cidade de Rio Comprido e refletirá acerca de temas relacionados ao Concílio Vaticano II.
O coordenador de pastoral, Monsenhor Joel Portella Amado, explicou que “nos últimos anos, mais exatamente desde 2011, o curso tem percorrido todos os documentos do Concílio, com conferencistas diretamente ligados à Santa Sé ou professores de universidades europeias, com renome no estudo dos temas abordados”, sendo “em geral” “sempre três temas e, consequentemente, três conferencistas”.
Dentre os conferencistas do encontro, está o prefeito da Congregação para a Causa dos Santos, no Vaticano, Cardeal Angelo Amato, que comentará sobre os mais variados aspectos da ação missionária da Igreja.
Por sua vez, o presidente do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais, Claudio Maria Celli, abordará com os presentes as características e a importância dos meios de comunicação. “Ele é presidente desse setor do Vaticano e, portanto, o homem mais indicado para nos falar sobre a intenção do Concílio, como também sobre a evolução após o Concílio, que são 50 anos.
E como o tema da transmissão da comunicação social de hoje, talvez tenha outras questões e outros problemas”, disse o bispo auxiliar emérito e organizador do curso, Dom Karl Josef Romer.
Segundo Dom Romer, naquele tempo, “no Concílio não havia internet. Hoje há uma invasão totalizante que esmaga o indivíduo”. “Ele (Dom Celli) tematizará o Concílio e o tempo após hoje e o amanhã, e os problemas da comunicação social”.
A liberdade religiosa será mais um dos temas a serem tratados no encontro, ficando a cargo do professor da Universidade de Milão, Monsenhor Pierangelo Sequeri.
Curso para BisposIniciado em 1990, o Curso para os Bispos surgiu no período em que o Cardeal Ratzinger aceitou o convite de Dom Eugenio Sales para presidir o primeiro evento direcionado aos prelados do Brasil.
Seguindo um estilo que foi consagrando ao longo de todos esses anos, a programação do encontro tem, em cada dia, três conferências e um momento de diálogo com os conferencistas, em forma de painel.
Com informações da Gaudium Press

Papa destaca papel das mulheres na transmissão da fé



papa_transmissao-da-fe
São principalmente as mulheres que transmitem a fé, disse o Papa Francisco na Missa celebrada nesta segunda-feira, 26, na Casa Santa Marta, dia em que as Igreja celebra a memória de São Timóteo e Tito.
Francisco se concentrou, em especial, na Segunda Carta de São Paulo a Timóteo. Paulo recorda que Timóteo recebeu sua fé do Espírito Santo por meio de sua mãe e de sua avó. São essas que transmitem a fé, disse o Papa, explicando a diferença entre transmitir a fé e ensinar as coisas da fé.
“A fé é um dom. A fé não se pode estudar. Estudam-se as coisas da fé, sim, para entendê-la melhor, mas com o estudo você nunca chega à fé. A fé é um dom do Espírito Santo, é um presente, que vai além de toda preparação”.
Trata-se de um dom que passa através do belo trabalho das mães e das avós, de uma empregada, de uma tia, ou seja, das mulheres em uma família, disse o Papa. Ele explicou que são principalmente as mulheres que transmitem a fé porque aquela que trouxe Jesus foi uma mulher. Esse foi o caminho escolhido por Jesus, Ele quis ter uma mãe. Mas é preciso pensar se as mulheres têm consciência desse dever de transmitir a fé, observou o Papa.
Proteger a fé
Francisco destacou ainda a necessidade de proteger o dom da fé para que continue a ser forte com o poder do Espírito Santo. E o modo de proteger a fé é reavivar este dom de Deus. “Se não temos este cuidado, a cada dia, de reavivar este dom de Deus que é a fé, ela se enfraquece, acaba por ser uma cultura: ‘sim, sim, sou cristão’, uma cultura, somente”.
Ao contrário desta fé viva, São Paulo alerta sobre dois comportamentos: o espírito de timidez e vergonha. A timidez vai contra o dom da fé e não a deixa crescer. A vergonha é aquele pecado de querer cobrir a fé.
O Santo Padre concluiu explicando que o espírito de prudência é saber que não se pode fazer o que se quer; significa os caminhos para levar adiante a fé, com prudência.
“Peçamos ao Senhor a graça de ter uma fé sincera, uma fé que não se negocia segundo as oportunidades que aparecem. Uma fé que, a cada dia, procuro reavivar ou ao menos peço ao Espírito Santo que a reavive e assim dê um grande fruto”.
Fonte: Canção Nova

“Cardinalato é vocação, não um prêmio”, diz papa Francisco



novos cardeais2015Durante o Consistório, no dia 14 de fevereiro, o papa Francisco criará 15 novos cardeais. Os futuros cardeais são de diferentes países como Europa, Ásia, América Latina (México incluído), África e Oceania. Em carta enviada aos nomeados, o papa recordou que o cardinalato não é um prêmio, mas “ser cardeal significa dar testemunho da Ressurreição do Senhor na Diocese de Roma”.
Ainda, na mensagem, o papa pede aos novos cardeais que se preparem “com oração e um pouco de penitência” e tenham “muita paz e alegria”.
Confira a íntegra da carta:
 “Caro irmão,
Hoje foi publicada a sua designação como Cardeal da Santa Igreja Romana. Que a minha saudação e minhas orações cheguem a ti. Peço ao Senhor que te acompanhe neste novo serviço, que é um serviço de ajuda, suporte e proximidade especial à pessoa do Papa e para o bem da Igreja.
E justamente para que essa dimensão de serviço seja exercitada, o cardinalato é uma vocação. O Senhor, por meio da Igreja, te chama uma vez mais a servir; e a ti fará bem ao coração repetir na oração a expressão que Jesus sugeriu aos seus discípulos para que se mantivessem na humildade. Digam: ‘Somos servos inúteis’, e isso não como fórmula de boa educação mas como verdade depois do trabalho ‘quando fizerdes tudo o que vos foi mandado’. (Lc 17, 10).
Manter-se com humildade no serviço não é fácil quando se considera o cardinalato como um prêmio, como o ápice de uma carreira, uma dignidade de poder ou de distinção superior. Desde já, o teu compromisso cotidiano para manter afastadas estas considerações e, sobretudo, para recordar que ser Cardeal significa servir na Diocese de Roma para dar testemunho a esta da Ressurreição do Senhor e dá-lo totalmente, até o sangue, se necessário.
Muitos ficarão felizes por esta tua nova vocação e, como bons cristãos, farão festa (porque e característica do cristão alegrar-se e saber festejar). Aceita-o com humildade. Faça com que, nestes festejamentos, não se insinue o espírito da mundanidade que embriaga mais do que graça em jejum, desorienta e separa da cruz de Cristo.
Nos vemos no dia 14 de fevereiro. Prepara-te com oração e um pouco de penitencia. Tenha muita paz e alegria. E, por favor, te peço de não esqueceres de rezar por mim. Deus te abençoe e a Virgem Maria te proteja. Fraternalmente, Francisco”.
Fonte: CNBB